.
.
.DF
.
.
..
.
.
.
.

 

 

 

 

 

 

 

CORPO "BOMBADO"
Esteróides Anabolizantes

 

Maria Luiza Curti
luizacurti@dominiofeminino.com.br
Psicóloga clínica 14/01733-1
mlcurti@uol.com.br
18, Maio/2002

 

"Por que vou ser Clark Kent quando
posso ser o tempo todo Superman?"
(usuário anônimo de esteróide)

O homem sempre teve a preocupação de parecer másculo, grande, forte. No começo, pelo menos os atletas tinham essa preocupação. Na antiga Grécia eles ingeriam testículos de carneiros para participar de competições.

Por muito tempo o desenvolvimento e modelação dos músculos ficaram restritos aos halterofilistas, fisiculturistas, arremessadores de pesos e poucas outras classes de atletas, ficando entre eles o consumo de substâncias para desenvolvimento muscular.

Em meados dos anos 80, um crescente número de atletas amadores, modelos homens e mulheres, começaram usar esteróides por razões estéticas. As pessoas que vivem ou trabalham em ambientes onde a luta física é comum, como em quartéis de policia, bombeiros entre outras profissões, também passaram a consumir essa classe de substâncias.

Nos EUA, em 1994, 0,5% da população adulta, ou 1.084.000 americanos, disseram que ter usado esteróides anabolizantes, segundo levantamento nacional do Serviço de Saúde do Abuso de Drogas.

Os esteróides anabolizantes são drogas derivadas da testosterona, hormônio masculino e sintetizadas em laboratório e atuam no desenvolvimento da massa muscular. São fabricadas, legal ou ilegalmente, dentro e fora dos EUA. Os de fora, geralmente, são enviados através dos correios. Boa parte dos esteróides anabolizantes fabricados legalmente são desviados para o mercado negro. Muitas substâncias são diluídas, contaminadas, ou simplesmente falsificadas.

Esses medicamentos são seguros somente sob prescrição e monitoramento médico para casos específicos.

Quem abusa dos esteróides anabolizantes está sujeito a mais de 70 efeitos colaterais. Há conseqüências negativas para ambos os sexos e algumas delas são: grande risco de distúrbios como mania e depressão; atos agressivos, podendo ferir a si mesmos ou aos outros; doença cardiovascular; câncer de fígado; acne severa; retenção de água; rasgos nos músculos; ferimentos nos tendões, insônia; infertilidade e outros...

Os efeitos negativos na mulher: crescimento de pelos faciais; alteração ou ausência do ciclo menstrual; aumento irreversível do clitóris; voz grossa; diminuição dos seios; osteoporose; atrofia do útero etc...

Alguns efeitos adversos no homem: os testículos diminuem de tamanho;impotência; número de espermatozóides reduzido; infertilidade; calvície; desenvolvimento de mamas; aumento da próstata e outros...

No adolescente que abusa dos medicamentos anabolizantes há uma maturação esquelética prematura; baixa estatura.

Nos EUA vários estudos apontaram para a agressividade e a raiva incontroláveis que podem levar a episódios violentos como resultado do abuso de anabolizantes. Há programas e serviços que incluem aconselhamento, treinamento para o trabalho, assistência médica, assistência advocatícia e abrigo sigiloso para mulheres e crianças vítimas de violência doméstica. Nesses abrigos há sempre um grande número de mulheres que sofreram violências por parte de maridos que abusam de esteróides anabolizantes.

O cinema americano já reproduziu em vários filmes, histórias reais, sobre homens viciados nesse tipo de drogas (geralmente militares) e nem sempre há um final feliz.

 

 

INALANTES

Maria Luiza Curti
luizacurti@dominiofeminino.com.br
Psicóloga clínica 14/01733-1
mlcurti@uol.com.br

 

"Desde o útero materno, o olfato é um dos sentidos
que exerce maior influência no nosso comportamento."

 

Os inalantes não fazem parte das "novas drogas", mas é indispensável, sempre que se falar de drogas, não esquecer dessa classe, pois estão presentes no cotidiano dos novos indivíduos (crianças e adolescentes). Não é raro um adulto adicto ter começado pelos inalantes.

O emprego doméstico e em atividades diárias comuns, fazem os inalantes aparentemente inofensivos e daí a propensão ao seu consumo por jovens e crianças.

Os pais quase nunca imaginam que seus filhos possam inalar combustível de isqueiro e os inocentes: esmalte, removedor de esmalte (acetona), desodorante, o laquê dos cabelos da mamãe e outros.

Os inalantes se classificam em categorias:

Solventes: são os industrializados de uso doméstico, incluindo os diluentes de pintura, os líquidos para lavagem a seco (usados em tinturarias ou em casa), gasolina. Os solventes são usados para pinturas artísticas e em oficinas, empregados como corretor líquido para escrita em papel e os, à base de benzina, para limpeza de eletrônicos.

Gases: empregados em produtos de uso doméstico e comerciais, incluindo o isqueiro a gás butano, o propano em geladeira e ar condicionado, aerosóis e inclusive aqueles de tinta para pinturas, laquês para os cabelos e desodorantes. Os gases anestésicos de uso médico, como o éter, clorofórmio, haloteno e o óxido nitroso (gás hilariante).

Nitritos: o nitrito de butilo é usado no lança-perfume (já há alguns anos é uma substância ilícita) e outros.

Mesmo com composições diferentes, quase todos os inalantes usados para recreação produzem efeitos similares aos dos anestésicos, desacelerando as funções do corpo.

Quando inalados em quantidades exageradas podem causar efeitos intoxicantes. A intoxicação pode durar apenas alguns minutos ou várias horas se o processo for repetido várias vezes consecutivas.

No princípio, o usuário pode sentir um leve estímulo; com inalações sucessivas, pode sentir menos inibição e menos controle; por último, pode perder a consciência.

A aspiração de quantidades elevadas de substâncias químicas que contém os solventes e os aerosóis pode ser uma causa direta de insuficiência cardíaca e morte.

Há efeitos irreversíveis causados por inalação excessiva de solventes específicos:

podem ocasionar perda da audição: pintura com aerosol, substâncias adesivas, removedor de cera, líquidos para limpeza e de correção.

espasmos das extremidades: substâncias adesivas, gasolina, aerosóis e cilindros de gás.

lesões no sistema nervoso central e no cérebro: pintura com aerosol, substâncias adesivas, removedores de cera.

dano na medula óssea: gasolina.

Existe indicação de uma relação entre o abuso do nitrito de amilo e de butilo (lança-perfume) e o sarcoma de Kaposi que é o câncer que se vê com mais freqüência nos pacientes com Aids. Os primeiros estudos dessa classe de câncer mostraram que muitos pacientes haviam usado nitritos voláteis. Os estudos prosseguem explorando tal hipótese.

Seria interessante e necessário que os pais relacionassem todos os medicamentos, produtos de limpeza, de toucador, etc... que oferecem risco às crianças e os tirassem do alcance delas, pois o risco de abuso e envenenamento é muito grande e o perigo pode se esconder por trás de produtos que, à primeira vista, parecem totalmente inofensivos.

 

 

 

DF
Interativas
Amizade
ClubeDF
CTRlQualidade
Participe
Expats

Onça

Amor
Seguros
Socorro
Separação

Moda

ElesPorEles
Viagens
NetColuna
Humor via e-mail
Cultura
Por aqui, senhores
Serviços
Sociedade
Lar & Casa
Lazer
Entrevista
Mulher
Trabalho
& Negócios
Compras
NoivasNoivos
Perfume
Internacional
Temáticos
Saudável
Opinião
Editorial
Editora
DF

 

[ Domínio Feminino 2000 -2002. Todos os direitos reservados. ] Brasil - Brazil, we speak portuguese